Resenha: Danny, o campeão do mundo, de Roald Dahl

Danny, o campeão do mundo é narrado em primeira pessoa pelo menino Danny, ele abre o livro contando que sua mãe morreu quando ele tinha apenas quatro meses e sempre foi cuidado por seu pai.

Ele fala com muito carinho e amor dele.

“Eu gostava que meu pai sorrisse com os olhos. Isso queria dizer que ele nunca me dava sorrisos falsos, pois é impossível fazer os olhos brilhar se a gente não está brilhando. (…) Por isso, tome cuidado se alguém lhe sorrir com a boca mas não com os olhos. Com certeza é um sorriso falso.”

É bacana um livro que fale desse tema dos pais solteiros ou viúvos e que cuidam, e muito bem, de seus filhos.

Os dois moram “numa espécie de carroça de ciganos atrás de um posto de gasolina”, que é exatamente isso, mas muito bem arrumada e cuidada. Um fiscal constata isso quando é mandado pelo horrível sr. Victor Hazell, o dono de uma fazenda com muitos faisões aonde as pessoas ricas iam para caçar numa certa época.

No terreno do pai de Danny havia também um posto de gasolina e um galpão, ali era a oficina para concertar carros. O pai era um ótimo mecânico e pessoas vinham de longe para que ele consertasse seus carros.

O carinho do pai é demonstrado diversas vezes em muitos detalhes do cotidiano, como quando esquentava a água para que Danny tomasse banho de bacia. O pai inventava diversas histórias e as contava à noite para que o menino dormisse. Às vezes algumas eram tão compridas que levavam várias noites para terminar.

E o menino adorava isso.

Uma dessas histórias era a de um gigante amistoso, que caçava e distribuía sonhos. Roald Dahl tem outro livro chamado O BGA, O Bom Gigante Amigo, que você pode ler a resenha clicando aqui, que é exatamente a história desse gigante amistoso.

Mas um dia Danny acorda à noite e percebe que não há a respiração do pai na cama de cima do beliche, então ele sai em sua busca e se sente angustiado quando não o encontra. Quando o pai retorna, ele deve algumas difíceis explicações.

Eles vivem algumas aventuras e os dois pensam juntos e armam um grande plano contra o sr. Hazell.

Essa edição não contém os desenhos de Quentin Blake, renomado ilustrador das obras de Dahl. Olhei a edição em inglês e são lindas! Espero que seja lançado no Brasil.

Danny, o campeão do mundo (Danny, the Champion of the world, Martins Fontes, 2002) foi lançado em 1975.

Roald Dahl nasceu em 1916, no País de Gales, e faleceu em 1990, deixando assim, milhares de leitores órfãos. Mas suas obras ficaram para que mais e mais crianças e adultos se encantem com a inteligente Matilda, com perigos em As Bruxas, com vários contos, inclusive o primeiro escrito, em As incríveis aventuras de Henry Sugar e outros contos, com os animais A Girafa, o Pelicano e eu e muitas outras histórias geniais!

Quando compramos um livro ou ebook de Roald Dahl ajudamos a Roald Dahl Marvellous Children’s Charity, instituição que cuida de crianças.

____

Links úteis:

Skoob | Amazon

Lista de livros da “Matilda”, de Roald Dahl

Acompanhe-nos:

Facebook | Instagram | Skoob | Twitter

Heidi Gisele Borges

Autora dos livros juvenis "O menino que perdeu a magia" e "Um segredo de Natal", pela Editora Estronho, e de diversos contos de horror, tudo sob o nome Celly Borges. É revisora, viciada em livros e em dormir. É mãe do gato Anakin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *