Resenha: Jim Knopf e Lucas, o Maquinista – Michael Ende

Em Lummerland vivem algumas pessoas. Bem poucas, na verdade. O rei Alfonso Quinze-para-Meio-Dia (essa era a hora em que ele havia nascido e as pessoas só viam o rei nos feriados, exatamente às quinze para meio-dia), os súditos senhor Colarinho e senhora Heem e Lucas, que não é súdito, é maquinista.

Bem, Lummerland é uma ilha muito especial. E é preciso dizer que há ainda outra moradora na ilha. A locomotiva Ema, sem ela Lucas não seria um maquinista.

Um monte de caminhos subiam se enrolando na montanha, cheios de pequenas pontes e túneis. Fora isso, havia ainda trilhos de uma estrada de ferro cheia de curvas, que atravessava cinco túneis e subia a montanha em ziguezague, até chegar os dois picos.

É claro que também havia casas em Lummerland: uma delas era uma casa comum, e na outra funcionava uma pequena mercearia. Havia também uma pequena estação de trem que ficava no sopé da montanha. Ali morava Lucas, o maquinista. E em cima da montanha, entre dois picos, havia um castelo.

Até que um dia um pacote misterioso chega em Lummerland. Não há como saber de onde vem e para quem exatamente é, pois a etiqueta de endereços é um rabisco que vagamente lembra o nome do país. Então o carteiro resolve deixar lá pois a única mulher no reino era a senhora Heem.

Quando todos juntos abrem o pacote, assustados, descobrem um bebê. A senhora Heem fica logo encantada, assim, quando o carteiro volta para ver se encontraram o dono da caixa, ela diz que está tudo certo e que o pacote era para ela mesma.

O menino recebe o nome de Jim. Quando ele cresce um pouco, ganha o sobrenome Knopf (botão em alemão), pois sempre rasgava as calças e não adiantava remendar, então a senhora Heem colocou um botão perto do buraco e assim não tinha mais trabalho, era só abotoar de novo.

Mas chega o dia em que o rei chama Lucas para conversar e diz que Ema, a locomotiva, deve ir embora de Lummerland, pois Jim está crescendo e não há lugar para tanta gente no país.

Lucas decide partir com Ema, pois sem ela ele não seria um maquinista. Além disso, não abandonaria sua melhor amiga. No entanto, Jim descobre os planos de Lucas e resolve ir junto. Mas o menino não sabe que é por sua culpa. Então, desta forma, começa uma grande aventura de amizade e respeito.

Michael Ende partiu em 28 de agosto de 1995, e deixou diversos livros incríveis, como Momo e o Senhor do tempoO ponche dos desejos, A história sem fim, que já foi filmado, no entanto, o autor não gostou do resultado e pediu para que seu nome fosse retirado dos créditos.

Momo recebeu o Prêmio de Literatura Juvenil Alemã e o Prêmio Europeu de Livros para a Juventude. Michel Ende estudou na Waldorf School e desertou ao ser convocado para o serviço militar em 1945, aos 16 anos. Nasceu em Garmisch-Partenkirchen, Alemanha, em 12 de novembro de 1929. Viveu no interior da Itália, numa casa chamada Casa do Unicórnio, em meio a um jardim repleto de oliveiras. Por problemas financeiros, Ende não fez faculdade.

Acompanhar suas histórias é sempre brindar pela ótima literatura. Jim Knopf e Lucas, o maquinista (Jim Knopf und Lukas der Lokomotivführer), foi seu primeiro livro, publicado em 1960, foi filmado na Alemanha e estrou esse ano nos cinemas de lá. A sequência do livro é Jim Knopf, e os 13 Piratas.

A Locomotiva Ema

Links úteis:

Skoob | Momo e o Senhor do tempoO ponche dos desejos | A história sem fim

Acompanhe-nos:

Facebook | Instagram | Skoob | Twitter

Heidi Gisele Borges

É revisora, autora dos livros juvenis "O menino que perdeu a magia" e "Um segredo de Natal", pela Editora Estronho, e de diversos contos de horror, tudo sob o nome Celly Borges. Gosta de ler sobre a II Guerra Mundial, de colecionar livros e falar sobre eles. Gosta de costurar nas horas vagas. É mãe do gato Anakin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *