Resenha: Segredos do romance policial, de P. D. James

Em O segredo do romance policial, P. D. James fala sobre esse gênero desde sua origem. E aproveita para fazer um paralelo com alguns nomes da ficção policial norte-americana, como Raymond Chandler e Dashiell Hammett, da mesma época, e como eram diferentes as visões e suas influências para escrever histórias de detetives.

James mostra como nem todo livro do gênero é bom, mas também nem todos são ruins ou pequenos, como a crítica tenta colocar. O termo literatura de entretenimento pode diminuir, mas qual o problema com um bom livro para relaxar? Principalmente quando se trata de uma época entreguerras em que as pessoas tentavam se recuperar.

A Era Dourada foi como chamada, “abarca duas décadas entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial, mas essa demarcação é indevidamente restritiva. Uma das histórias de detetive mais famosas incluídas na Era Dourada é O último caso de Trent [Trent’s Last Case], de E. C. Bentley, publicada em 1913”. Esse livro foi lançado no Brasil pela Editora Globo e é facilmente encontrado em edições do Círculo do Livro.

A história de detetive teve seu início reconhecido com Edgar Allan Poe no conto Assassinatos na rua Morgue (Murders in the Rue Morgue), de 1841.

E James aponta que o primeiro romance policial longo seria o sensacional (não posso falar diferente, afinal está em segundo lugar no meu Top Five de livros preferidos) A Pedra da Lua (The Moonstone), de Wilkie Collins (aliás, nome que usei num personagem meu), publicado em 1868.

“T. S. Eliot descreveu [A Pedra da Lua] como ‘a primeira, mais longa e melhor’ história de detetive inglesa moderna.”

A Editora Record lançou no Brasil A Pedra da Lua em 2001, mas, por algum motivo não deve ter dado muito certo e vendeu seus exemplares por pouco mais de R$10 em balaios nas livrarias. Assim consegui meu exemplar em 2006. Já havia lido algum tempo antes disso e me apaixonei. Foi um livro que me chamou pela lombada, eu a olhava e seguia a vida, mas um dia aceitei o chamado. Foram algumas das melhores 686 páginas que já li.

“P. D. James é uma das escritoras mais admiradas e amadas da Grã-Bretanha”,
The Paris Review.

P. D. James nasceu em 1920, na Inglaterra, é um dos principais nomes da literatura policial. Seu primeiro romance é O enigma de Sally (1962). Ela faleceu em 2014. A autora foi convidada em 2006 pelo “Departamento de Publicações da Bodleian (…) para escrever um livro sobre o gênero policial britânico a fim de ajudar a instituição”, livro que foi lançado lá em 2009.

O título original, em inglês, de Segredos do romance policial – Histórias das histórias de detetive é totalmente diferente de sua tradução: Talking about detective fiction. Foi publicado no Brasil em 2012 pela editora Três Estrelas, com fonte e espaçamento generosos, bastante confortável para ler.

“Em geral, o culpado não é o mordomo.”

___

+ Links úteis:

Compre com desconto na Amazon

+ Leia também:

Resenha de Assassinatos na rua Morgue e outras histórias [Cine Horror]

Lista de livros para melhorar a escrita: dicas de livros para novos escritores

+ Acompanhe-nos:

Facebook | Instagram | Skoob | Twitter

Heidi Gisele Borges

Autora dos livros juvenis "O menino que perdeu a magia" e "Um segredo de Natal", pela Editora Estronho, e de diversos contos de horror, tudo sob o nome Celly Borges. É revisora, viciada em livros e em dormir. É mãe do gato Anakin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *