Heidi Gisele Borges (Celly Borges)

Nasci e sobrevivo em São José dos Pinhais, PR. Sou apaixonada pelos livros.

Escrevi e publiquei alguns livros sob meu apelido de infância, Celly. Muitos nem sabiam o meu verdadeiro nome, que em 2016 resolvi voltar a usar!

Sou autora dos romances infantojuvenis O menino que perdeu a magia e Um segredo de Natal, ambos pela Editora Estronho.

Tenho contos nos livros de fantasia Autores Fantásticos e Mundo de Fantas, na antologia de terror e humor Terrir, na coletânea pulp Lama, escrevi contos de horror para Insanas… elas matam!,Le Monde Bizarre – O Circo dos HorroresNevermore – Contos Inspirados em Edgar Allan Poe, Malditas, as casas têm atmosferaElas, cruéis e para o projeto Tu Frankenstein II, onde vários autores ficaram trancados na Biblioteca Pública do RS para escrever, além do eBook Barbara está morta e outros contos de horror. E o livro infantil Em busca do arco-íris de sonhos sob o nome Gisele Borges.

Sou colunista de literatura no Jornal Em Foco, de Brusque, SC.

Eventos:

  • Convidada da 1ª Odisseia de Literatura Fantástica de Porto Alegre, RS, para falar com as crianças sobre literatura infantil.
  • Convidada do 1º Tu Frankenstein, na Feira do livro de Porto Alegre, RS, para falar sobre literatura de horror, junto com Gustavo Melo Czekster, Max Mallmann e Fernando Mantelli, mediado por Cesar Alcázar. Os autores convidados ficaram confinados na Biblioteca para escrever um conto e saiu o livro de mesmo nome.
  • Convidada da FEMULI – Feira Municipal do Livro de São José dos Pinhais, PR – para falar com as crianças sobre literatura juvenil.
  • Convidada da 1ª FLID – Feira Literária de Divinópolis. Junto com Marcelo Amado, Fernanda Melo e Bruno Godoi, mediado por Juarez Nogueira, para falar sobre literatura.
  • Convidada do Mondo Estronho (2016), com Tânia Souza e Luciana Minuzzi, para falar sobre literatura de horror.

Adoro Michael Ende, Roald Dahl, Diana Wynne Jones, Eva Ibbotson, Mary Shelley, Franz Kafka e muitos outros autores. E Ozzy Osbourne e umas bandas alemãs, como Eisbrecher e Megaherz. Ah, sou mãe do gato sapeca Anakin.

Tive uma infância massa, por isso mantenho minha magia e meu olhar de criança. Às vezes ameaço com coturno e um taco de beisebol as pessoas queridas… Mas essa é outra história que deverá ser contada em outro momento.

Resolvi criar o site Beco do Nunca, nome e subtítulo em homenagem ao Michael Ende, do livro Momo, porque eu precisava volta a publicar minhas resenhas de livros e sobre filmes e bandas que gosto. Amo falar sobre livros, e escrevi sobre eles por algum tempo no blog Mundo de Fantas, da mesma forma inspirado no autor de A História sem Fim.

Ótimas leituras!

Contatos:

Facebook | Instagram | Skoob | Twitter