Resenha: A incrível história de Henry Sugar e outros contos, de Roald Dahl

O conto Golpe de sorte fala como Roald Dahl se tornou escritor, e foi essa história que me chamou para A incrível história de Henry Sugar e outros contos.

Eu buscava em minha biblioteca algo para ler e quando peguei o livro e abri nesse conto. As primeiras linhas já me chamaram a atenção por ser autobiográfico e eu precisei ler naquele momento.

Um dos meus escritores favoritos, Roald Dahl (1916-1990) tem um jeito único de contar suas histórias. Em Golpe de sorte o autor conta como nasceu seu primeiro conto, que poderia nem ter existido não fosse a generosidade de um autor admirado por Dahl.

Dahl nem sabia que era escritor quando recebeu a notícia de que seu texto seria publicado e receberia por isso.

C. S. Forester um dia foi conversar com Dahl, desejava que ele narrasse suas aventuras

como piloto na II Guerra Mundial (1939-45), que acontecia naquele momento.

A ideia de Forester era ter algumas informações gerais para que ele mesmo escrevesse o conto, mas quando recebeu as anotações de Dahl, viu que aí havia um grande escritor e tratou logo de avisar isso ao amigo. Roald Dahl conta que em dois anos escreveu 11 contos, todos publicados e recebia por isso!

Forester foi muito generoso e correto.

Em seguida podemos ler esse primeiro conto, intitulado Moleza, que é o último do livro.

Adoro ler contos fora de ordem quando não há a necessidade de acompanhar uma sequência que faça sentido, então eu comecei esse livro pelo penúltimo – que foi o que me chamou –, fui para o último e voltei ao começo. Então terminei, sem programar, com o conto que dá título à obra.

Descobri um dos melhores contos que já li. A incrível história de Henry Sugar é algo diferente. Há uma beleza na escrita de Dahl toda explícita na história de um sujeito de quarenta anos que vivia da herança do pai, era solteiro, e estava sempre nos cassinos. Certo dia, quando ficou de fora de um dos jogos com amigos, foi andar pela casa e na biblioteca encontrou um caderninho de capa azul, ele leu toda a história fantástica e descobriu meios de ganhar mais dinheiro. Mas, claro, nunca há apenas alegrias.

A incrível história de Henry Sugar e outros contos (The wonderful story of Henry Sugar and six more, Editora Martins Fontes, 2002, 276 páginas) tem sete contos, apesar de na ficha catalográfica constar infantojuvenil, não é muito indicado para esse público. São contos diferentes do que Dahl costuma escrever (lembrando que ele tem muitos contos para o público adulto, como o livro de contos Beijo). O livro afirmou mais uma vez o motivo de Roald Dahl estar na minha lista de melhores.

Roald Dahl é autor de muitos livros, entre eles Matilda, A Fantástica Fábrica de Chocolate, BGA – O Bom Gigante AmigoAs Bruxas, todos esses já viraram filmes.

____

Links úteis:

Skoob | Amazon

Acompanhe-nos:

Facebook | Instagram | Skoob | Twitter

Essa resenha foi publicada também no Jornal Correio do Cidadão, Guarapuava, PR.

Heidi Gisele Borges

É revisora, autora dos livros juvenis "O menino que perdeu a magia" e "Um segredo de Natal", pela Editora Estronho, e de diversos contos de horror, tudo sob o nome Celly Borges. Gosta de ler sobre a II Guerra Mundial, de colecionar livros e falar sobre eles. Gosta de costurar nas horas vagas. É mãe do gato Anakin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *