Resenha: A Girafa, o Pelicano e eu, de Roald Dahl

Roald Dahl criou aqui mais uma história fantástica. Quem narra a história é Billy, um menino curioso que sempre passa em frente a uma loja abandonada chamada Grude. Ele descobre que antigamente era assim que se chamavam as confeitarias. E esse é seu sonho: ter uma confeitaria.

Então, um dia, viu que alguém comprou o lugar e tirou a antiga porta e colocou uma muito grande. Logo descobre que a Girafa, o Pelicano e o Macaco criaram uma empresa para lavar janelas sem usar escada, claro.

Preocupados em arranjar serviço, logo no primeiro dia chega um carro e dele desce um chofer, que lê uma carta escrita de próprio punho pelo Duque de Hampshire, pedindo para eles irem até sua casa, pois é difícil achar alguém para limpar as “seiscentas e setenta e sete janelas (sem contar a estufa)”.

Eles ficam felizes com o primeiro trabalho, pois todos estão famintos e comem bastante (cada um com sua especialidade bastante peculiar). Além disso, gastaram muito para reformar o prédio para abrir a empresa.

Escrever para crianças é divertido porque ninguém (leitores e personagens) se assusta ou estranha que animais possam falar ou trabalhar. É isso e é normal. Não há limites para a imaginação de Dahl, mestre em criar histórias.

Outra coisa bacana ao comprar os livros do autor – além de ter os livros – é que ajudamos a uma instituição que leva o seu nome Roald Dahl Marvellous Children’s Charity.

O livro é ricamente ilustrado por Quentin Blake. Seus desenhos combinam muito com as obras de Dahl, por isso ele passou a ilustrar todos.

A Girafa o Pelicano e eu (The Giraffe and the Pelly and me, Editora WMF Martins Fontes, 2016) é pequeno e tão divertido, apenas 80 páginas, mas que nos transportam! Com aquele toque de amor e carinho inconfundível de Roald Dahl. Ler um livro de Dahl é se sentir abraçado. Essa é uma história de descobertas, aventuras e amizade.

Dahl começou a escrever depois que o autor C.S. Forester pediu que ele contasse sobre quando havia sido piloto na II Guerra Mundial, então ele entregou um relato que o autor usaria para escrever um conto, mas logo disse a Dahl que ele não poderia fazer nada, o conto estava pronto e Dahl receberia pela publicação. Graças ao caráter desse homem, que não levou o crédito e soube reconhecer um escritor, temos um dos maiores autores para crianças. Você pode ler o primeiro conto e vários outros no livro A incrível história de Henry Sugar e outros contos.

Ah! Willy Wonka, de A fantástica fábrica de chocolate (outro grande sucesso de Dahl), é citado no livro.

Roald Dahl é autor de vários livros para crianças e adultos, como Matilda, O BGA – O Bom Gigante Amigo, A incrível história de Henry Sugar e outros contos, entre muitos outros. Nasceu em 1916, no País de Gales, e faleceu em 1990.

Podemos conhecer mais sobre esse maravilhoso autor em roalddahlmuseum.org

____

Links úteis:

Skoob | Amazon

Acompanhe-nos:

Facebook | Instagram | Skoob | Twitter

Heidi Gisele Borges

Autora dos livros juvenis "O menino que perdeu a magia" e "Um segredo de Natal", pela Editora Estronho, e de diversos contos de horror, tudo sob o nome Celly Borges. É revisora, viciada em livros e em dormir. É mãe do gato Anakin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *